fbpx
Uma história de empreendedorismo com Gabrielly Valença, criadora da Maria Brigadeiro
Uma história de empreendedorismo com Gabrielly Valença, criadora da Maria Brigadeiro

Uma história de empreendedorismo com Gabryelly Valença, criadora da Maria Brigadeiro

Hey, Habib! A Revista Oka dá início a uma série de entrevistas com mulheres reais e super inspiradoras. Na pauta de hoje nossa convidada, Gabryelly Valença, compartilhou conosco sua história de empreendedorismo. Nos presenteando com um lado mais realista da jornada, Gabryelly conta o que a levou a empreender, além compartilhar conosco uma trajetória repleta de desafios e superações. Confira!

Como tudo começou…

Minha história de empreendedorismo começa desde muito cedo. Me lembro que, quando eu ainda era criança, eu já empreendia. Na verdade não era o nome que a gente dava. Eu era só uma menina querendo ter um dinheirinho, e todos achavam fofa a maneira como eu arrumava meios para conseguir. Eu visava apenas comprar as coisas que eu julgava essencial, quando criança, ou seja, bombons e brinquedos. Fui crescendo e a necessidade de ser gente grande acompanhou todo esse processo, então eu tive que me reinventar a cada nova fase.

Ainda na escola, eu buscava vender pirulitos de chocolate, borrachas, lápis, rifas, roupas usadas. Mas chegou o tempo que eu precisava escolher uma profissão. O grande sonho da minha vida é ser atriz e viver da arte de comunicar e expressar. Fiz teatro por longos e vários anos seguidos, mas como não tinha apoio familiar e eu era uma adolescente, deixei o sonhos voar e sumir. Então, me vi de frente para o meu segundo sonho que era ser Medica.

Testes, vivências e decisões

Eu não me achava capaz de alcançar tal feito, pois nunca fui uma aluna exemplar. Mas, quando acabou o ensino médio, eu decidi cursar Direito em uma universidade particular e assim o fiz. Cursei 1 ano e vi que não era isso. Que eu estava infeliz e não me imaginava exercendo essa profissão pro resto da vida. Então, dentro de mim a vontade de ser médica começou a ressurgir, e eu larguei a faculdade. Fui contra a opinião dos meus familiares e decidi ir pra um cursinho e, assim, seguiu por 5 anos.

Até alcançar minha tão sonhada vaga, nesse entremeio de tempo, eu sempre produzi conteúdo para internet. Desde 2015 eu gravo vídeos para o YouTube, na intenção de um dia viver da minha arte. Os anos foram passando e eu passava em tudo, menos em medicina. Minha necessidade de ser gente grande e independente gritava dentro de mim e me fazia ter as ideias mais loucas do mundo. Então eu decidi empreender no ramo do vestuário personalizado.

Mantendo-se firme diante das adversidades | Uma história de empreendedorismo

Minha ideia era criar uma marca com meu sobrenome, de t-shirts com frases e imagens legais, e para isso eu precisava de, no mínimo, 5 mil reais. Eu não tinha nem 5 reais, quanto mais 5 mil! Aí tive a brilhante ideia de classificar minha habilitação para poder rodar de Uber. Aos finais de semana eu venderia picolé gourmet na praia, pois moro em Olinda e aqui tudo se resume ao mar. Na minha cabeça estava tudo perfeito e concreto até que, explicando empolgada, minha mãe me disse: você tem que pedir ao seu pai para poder fazer isso.

Assim, eu fui feliz e sorridente, e ele me disse: NÃO. Voltei pra estaca zero e não tinha mais ideias. Comecei a ficar triste, achando que nunca conseguiria mudar a minha realidade atual, e que nunca seria alguém importante. Então, na páscoa de 2020, eu decidi vender ovos de colher. Nunca tinha feito antes e não faço a menor ideia de onde isso surgiu. Mas, eu pensei: já fiz trufas e o ovo de colher é uma trufa grande. Então, juntei um dinheirinho que tinha e meu namorado, da época, me ajudou nessa compra e fiz dois testes de ovos, para fotografar e provar.

Um sucesso inesperado e, depois, uma nova prioridade

Todos gostaram muito e já queriam comprar, porém sou muito organizada e eu precisava de um cardápio. Aprendi a mexer no site de edição e fiz sozinha o meu cardápio. Minha lojinha de chama Ovolícia (mistura de ovo com delícia). Lancei o cardápio 1 semana antes da páscoa e no primeiro fim de semana eu já tinha vendido 25 ovos. Fiquei louca por que não tinha produto suficiente pra isso, não tinha espaço na geladeira, não sabia fazer alguns sabores que eu coloquei no cardápio, mas eu queria por variedades, pra encher o cardápio e ficar bonito.

Fiz uma linha de montagem e consegui fazer todos. Eu e meu ex namorado quem entregávamos todos e era a pior parte pois eu morria de medo deles virarem. Consegui 700 reais na páscoa. Fiquei muito feliz por que já tinha quase 1/5 do que precisava para abrir minha loja. Em maio, minha cachorrinha ficou doente e eu gastei todo o dinheiro para o tratamento dela. Mais uma vez tudo que estava dando certo, do nada deu errado. Aí não desanimei e continuei pensando em maneiras de ganhar dinheiro.

Nasce a Maria Brigadeiro | Uma história de empreendedorismo

Quando eu estava vendo uma aula de física, que não estava entendendo absolutamente nada, me veio, de repente, a ideia de vender brigadeiro para conseguir o dinheiro. Eu já estava planejando e planilhando tudo mas eu não tinha um nome. Então orei e falei com Deus para que, se fosse da vontade dele, eu adoraria o ter como meu sócio e que ele me desse um nome. Assim, uns 15 minutos depois, o nome MARIA BRIGADEIRO surgiu no meu campo de visão como um letreiro brilhante (não consigo por em palavras a sensação incrível que é sentir a presença de Deus tão palpável ).

Esse nome era simplesmente perfeito, por que eu sou MARIA, 80 % das mulheres da minha família são Marias. Então eu estava carregando uma herança genética, de mulheres fortes, resolvidas, solucionaras de problemas e sonhadoras ,acima de tudo. Fique extremamente feliz e já criei um Instagram @mariabigadeirogmt (como o user Maria Brigadeiro já existia, eu coloquei apenas a abreviação de gourmet no final). Assim, já comecei a pensar em maneiras de divulgação da minha marca.

Uma estratégia que deu mais que certo

Lembrando que ela só era com o intuito de arrecadar e juntar o dinheiro que eu precisava para abrir minha loja. Foi aí que eu decidir enviar um mimo para todos os clientes da Ovolícia. Eu mandei 4 brigadeiros gourmet, com sabores que não tinham aqui na região e em uma embalagem 100% instagramável (bonita). Assim, eu pensei: eles vão ganhar um mimo, vão ficar felizes e vão divulgar sem que eu tenha que pedir. Quando eu fiz isso a pandemia já tinha começado, ou seja, estavam todos em casa enlouquecendo. E o que é melhor do que um brigadeiro, para acalmar a alma e o coração?

A ação foi perfeita, eu consegui uns 100 seguidores no primeiro final de semana, mas não estava bom pra mim ainda. Eu precisa vender em larga escala, então tive ideia de abrir nos aplicativos de delivery. Porém, aqui na comunidade onde moro, ninguém tinha feito isso ainda, e eu não conhecia ninguém que pudesse tirar as minhas dúvidas. Aí eu simplesmente comecei a pesquisar tudo que eu conseguia encontrar, para obter todas as respostas necessárias que eu precisava.

Profissionalizando, superando dificuldades e ressignificando

Criei a coragem e abri meu CNPJ no final de Maio de 2020, e já dei entrada nos aplicativos. Nessa mesma época eu havia recebido a primeira parcela do auxílio emergencial. Como eu estava sem recursos, peguei minha parcela e investi 100% na compra de insumos e produtos para loja e eu continuava estudando para medicina. Eu dividia meu dia em blocos para dar conta de tudo. Até que, em Julho, eu recebo a notícia que havia passado mas a única pessoa que poderia me ajudar, mais uma vem me diz: NÃO. Eu quase entro em depressão. Na mesma época eu acabei meu namoro de 6 anos.

Realmente eu não estava bem e a Maria Brigadeiro era tudo que eu tinha. Então eu precisava fazer dar certo. Me esforcei muito e, no momento mais dolorido da minha vida inteira, eu vi meu tão sonhado e batalhado objetivo de passar em medicina ir embora muito rápido. Eu peguei a dor, frustração, mágoa, tristeza e resolvi transformar em algo bom. Criei assim. 3 produtos que chamo de explosão de sabor e hoje eles são meus recordes de venda, aqui na loja. Fiquei abismada com a capacidade que eu tinha desenvolvido de sair de qualquer situação difícil e transforma-la, do meu jeito, em algo bom.

Uma história de sucesso, que está apenas começando

Uma história de empreendedorismo com Gabrielly Valença | Revista Oka
Uma história de empreendedorismo com Gabryelly Valença | Revista Oka

Me senti poderosa e continuei seguindo em frente, sempre com o objetivo de pagar meu próprio estudo. Então, hoje tenho 5 meses de empresa e já faturo 4 dígitos por mês. Através da minha história milhares de pessoas se intensificaram e vieram acompanhar e torcer por mim, mesmo de longe. Minha história de empreendedorismo não termina aqui, ela apenas começa. Meu objetivo de vida é mostrar a mais mulheres que somos fortes, determinadas, e só Deus pode nos parar. Hoje sou Digital influenciar, YouTube, Empreendedora e Confeiteira, com muito orgulho de cada pequena e grande conquista.

Hey, Habib! Agora que você conheceu uma história de empreendedorismo com Gabrielly Valença, criadora da Maria Brigadeiro, que tal CLICAR AQUI para ler mais histórias de empreendedorismo.

Comentários

Leia Mais
O Boticário Lança a linha Superfix Bye Bye Panda de Intense